Quinta, 21 Maio 2015 14:52

Sistemas p/ realização de VHS minimizam o contato com o sangue

A velocidade de hemossedimentação (VHS) corresponde à medida da coluna de plasma de uma amostra de sangue após a sedimentação espontânea das hemácias. O International Committee for Standardization in Hematology (ICSH, 1977) considera aceitável algumas modificações introduzidas ao método originalmente proposto por Westergren, entre elas a substituição do tubo de vidro por tubo de plástico (polipropileno ou policarbonato) e o uso de EDTA como anticoagulante, desde que seja feita uma diluição do sangue, imediatamente antes de iniciar o exame, com uma parte de solução salina a 0,9 g/L para quatro partes de sangue.

Nas ultimas décadas, com o surgimento da AIDS, tem crescido a preocupação com a questão da biossegurança no laboratório clínico. Em conseqüência dessa preocupação e considerandose os riscos envolvidos na determinação da VHS, que inclui o manuseio e descarte de grande volume de sangue, tem surgido no mercado sistemas para a realização da VHS, que minimizam o contato com o sangue. Tais sistemas incluem o tubo de citrato de sódio a 3,2 g/L para a coleta do sangue. Ao final, todo o material utilizado é descartado. O exame VHS é um exame para avaliar a velocidade hemossedimentação podendo indicar se há alguma inflamação no organismo, como por exemplo uma simples gripe ou resfriado ou inflamações mais graves como pancreatite aguda. Pensando nisso propomos um sistema moderno de coleta com baixo risco para o profissional. 

Melhore a qualidade analítica, diminua os erros pré-analíticos!!!!!

Nos consulte, temos a solução!!!!!